5 grandes mulheres investidoras ao redor do mundo

mão-feminina-com-celular-indices-bolsa-de-valores-ações-mulheres-investidoras-phi-investimentos

As mulheres representam apenas 25% dos investidores brasileiros. Felizmente, esse número vem crescendo: nos últimos 15 anos, o número de investidoras na bolsa de valores cresceu quase 9 vezes. Em 2002, eram cerca de 15 mil e em 2017, chegaram a mais de 140 mil. No Tesouro Direto, são 155,5 mil mulheres, o que representa 27,5% do total de investidores.

Estudos afirmam que as mulheres são minoria no mercado financeiro porque têm uma maneira diferente de se relacionar com o dinheiro. Ganham menos e vivem mais, e atingem seu ápice salarial mais cedo.

Os homens, em geral, têm uma maior liberdade para investir de maneira mais agressiva e correr mais riscos.

Mesmo sendo minoria, mulheres ao redor do mundo se destacam por sua carreira de sucesso nas finanças. Conheça algumas delas:

mulheres-investidoras-geraldine-weissGeraldine Weiss

Conhecida como “a grande dama dos dividendos”, Geraldine Weiss superou muitos obstáculos para deixar sua marca em uma área predominantemente masculina. Seu interesse nas finanças começou na década de 1960, quando começou a ler e estudar sobre o assunto. Depois de ser rejeitada por diversas corretoras, fundou em 1966 o boletim informativo Investment Quality Trends (IQT), do qual foi editora até 2002. No início, ela assinava a publicação como G. Weiss, escondendo seu primeiro nome por medo do preconceito.

Weiss adotava uma estratégia para classificar ações que tornou-se sua assinatura: analisava o rendimento de dividendos de empresas de grande porte (as blue chips. Nos últimos 30 anos, as recomendações do IQT tiveram retorno de 11,2% por ano, ultrapassando resultados de outros grandes investidores, como Warren Buffett.

mulheres-investidoras-sallie-krawcheckSallie Krawcheck

Sallie Krawcheck é uma das mulheres mais bem-sucedidas de Wall Street. Foi CEO da Sanford C. Bernstein, CFO do Citigroup e presidente da divisão de investimentos do Bank of America. Atualmente, é CEO e co-fundadora do Ellevest, uma plataforma digital de investimentos para mulheres. A empresa tem o objetivo de diminuir a diferença entre homens e mulheres no mercado, considerando as particularidades da realidade feminina no mercado financeiro.

mulheres-investidoras-abigail-johnsonAbigail Johnson

Com uma fortuna de mais de US$16 bilhões, segundo a revista Forbes, Abigail Johnson está em sétimo lugar na lista das mulheres mais poderosas do mundo. Atualmente é CEO e presidente da Fidelity Investments, empresa de investimentos fundada por seu avô, Edward C. Johnson II, em 1946.

mulheres-investidoras-lubna-olayanLubna S. Olayan

Membro da família mais rica do Oriente Médio, a saudita Lubna Olayan é CEO da Olayan Financing Company, empresa fundada por seu pai, Sulaiman S. Olayan. Ela supervisiona todas as operações da empresa, que está presente em quase todos os setores da economia saudita, desde as petrolíferas até o fast food. Olayan vem quebrando barreiras de gênero em seu país: em 2004,  se tornou a primeira mulher a ser eleita para o conselho de uma empresa saudita, o Saudi Hollandi Bank.

Camila Farani

Camila Farani descobriu seu talento para os negócios aos 16 anos, quando começou a trabalhar na tabacaria da família. Hoje, é especialista na área de empreendedorismo feminino e uma das maiores investidoras-anjo do Brasil. Ao lado de Maria Rita Spina Bueno e Ana Lúcia Fontes, fundou o Mulheres Investidoras Anjo (MIA), para incentivar o interesse feminino na área de startups.

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da PHI Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.